CULTURA DE DJ - O Blog Magazine de Digital Djing

Notícias, Lançamentos, Reviews, Tutoriais, Entrevistas e Opiniões. Tudo sobre Controladores Midi, Software e Acessórios para Djs.

OPINIÃO: A Importância do EQ Kill

Posted by LUIS ALVES On 2:05 PM


A IMPORTÂNCIA DO EQ KILL
Desde que em 2008 entrei na era do Digital Djing, uma das técnicas que sempre me agradou na mixagem sempre foi fazer transições com auxílio da equalização. Os mixers na sua maioria trazem 3 bandas de equalização: Agudos, Médios e Graves. Dominar a arte do Djing através desta técnica é para mim um pilar para sets estruturados e sem grandes loucuras sonoras em termos de transições entre músicas. Os softwares de Digital Djing trazem além do equalizador comum uma função pouco explorada no passado e que cada vez mais tem sentido relevar: o EQ Kill. A função "Kill" (uma por frequência) é um excelente auxiliar e que depois de usar a primeira vez, raramente deixaremos de usar. 

EQUALIZAÇÃO
Todas as músicas possuem uma ampla faixa de frequências sonoras que em conjunto formam a harmonia musical. No Djing elas são basicamente separadas em 3 grupos: os Agudos, os Médios e os Graves. Existem ainda alguns fabricantes que possuem divisão em 4 grupos: os Agudos, os Médios Agudos, os Médios Graves e os Graves (A Allen & Heath é uma delas). Cada um dos grupos de frequências agrupa um conjunto sonoro que facilmente o DJ pode controlar. A primeira frequência dos agudos possui timbres mais estridentes onde normalmente encontramos os metais (Pratos), alguma precursão, instrumentos de sopro e uma porção dos vocais. Nos médios encontramos maioritariamente a componente instrumental, os sintetizadores, os vocais, guitarras, precursão e todos os elementos que completam a profundidade sonora. Na frequência de graves encontramos os elementos básicos da música eletrônica, a linha do baixo e a batida. É claro que vários elementos não ficam apenas em uma só frequência e acabam por se "infiltrar" nas outras bandas. No entanto conhecendo bem os elementos de cada música é possível controlar de forma profissional os nossos sets.


EQ KILL
Uma das primeiras técnicas que os Djs aprendem é a de "fundir" duas músicas entre si por meio da equalização. Esta é digamos, uma das técnicas base para qualquer Dj de qualquer estilo. O que o software veio relevar foi a capacidade de cortar cada uma dessas frequências apenas com um botão sem a necessidade de estar a fazer movimentos rápidos coordenados com os botões do mixer. O Botão "EQ Kill" é sem dúvida uma mais valia para qualquer Dj. O curioso no entanto é que 90% dos controladores midi não trazem um botão dedicado (no caso 3 - 1 por banda) na zona do mixer, mesmo que qualquer software conte com essa funcionalidade. Dos recentes lançamentos apenas podemos destacar o controlador Behringer CMD Studio 4A que trás botões dedicados. A Hercules DJ é outro dos fabricantes que oferece esses mesmos botões em seus controladores midi. Embora seja possível mapear essa função conforme a necessidade do Dj, seria extremamente positivo que os fabricantes de controladores de Dj incluíssem esses mesmos botões dedicados no hardware, sem a necessidade de mapeamento. Um pouco por toda a blogosfera e fóruns os usuários vêm solicitando os botões dedicados há vários anos na linha profissional e não compreendemos como os fabricantes não relevam este pedido.


TÉCNICA
Apesar de ser um recurso extremamente essencial para qualquer Dj, existem alguns erros que devem ser evitados a todo o custo. Dentro dos softwares de Djing encontramos agora a possibilidade de analisar as "Keys" ou Tom Harmônico. As Keys permitem que identifiquemos a escala musical que está sendo usada na música e dessa forma podemos mixar de forma mais equilibrada e evitar os "choques sonoros". O gráfico que vemos em cima chama-se "Camelot Wheel" e é uma representação gráfica que nos permite obter orientação para mixar por tom ou timbre. Para transições suaves, devemos observar a posição da "key" da nossa música e para que tudo possa estar em sintonia devemos usar a nova música que iremos mixar nas seguintes alternativas: mesma Key, mesmo Tom (com variação "major" ou "minor") ou andar 1 casa para a direita ou para a esquerda. Dessa forma existirá uma harmonia musical ajustada sem que exista um choque sonoro. Sobre esta técnica de mixagem irei elaborar um tutorial que publicaremos em breve. A referência às Keys não é por acaso quando falamos de equalização. Quando usamos duas músicas no mesmo tom harmônico podemos usar elementos de uma na transição com a outra. Podemos usar por exemplo a batida e baixo da música do deck A enquanto usamos apenas os agudos e médios do Deck B e assim sucessivamente. O que isto nos permite é ir retirando aos poucos os elementos da música que está terminando até que a nova música esteja tocando a 100%. Isto permite transições perfeitas e que serão apreciadas pelo público.

Você usa o Eq Kill como ferramenta de mixagem?
Deixe a sua opinião acerca deste artigo. 






SUBSCREVA O NOSSO FEED POR E-MAIL E FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS NOVIDADES:






CULTURA DE DJ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...